segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

A fé que brota da floresta

“Velas nas mãos e do meio da floresta acenderam-se chamas de esperança.
E Deus sorriu para a Amazônia.”


Vista panorâmica do Seringal Capela



Seringal Capela, ou simplesmente, Capela é uma pequena comunidade situada na margem esquerda do Rio Muru, cerca de um dia de viagem de barco movido a rabetão da cidade de Tarauacá, no Acre. A comunidade é formada por um pequeno conjunto de casas cobertas de palhas, formada pela casa do proprietário, o salão de festa, uma escola, a Igreja, uma carreira de botequins, uma cadeia e mais duas ou três casas, tudo isso ao longo de um enorme trapiche de madeira. Vindo do rio alcança-se o lugar subindo uma enorme escada, que ameniza a subida do íngreme barranco. Há telefone e eletricidade gerada por um pequeno Gerador, movido a óleo diesel. Compõe ainda esse cenário algumas árvores, como mangueiras, jambeiros, coqueiros, etc. Durante nove dias a monotonia daquele lugar é quebrada pela presença constante de canoas, pessoas, sons, etc. É a floresta em festa!

Já é assim há mais de cinco décadas e a cada ano toma nova dimensão. O motivo disso
tudo é uma forte devoção à aquele que foi soldado romano cristão, que morreu heroicamente pela sua fé, São Sebastião, invocado principalmente contra a peste, a guerra e a fome. Como surgiu a devoção naquelas plagas longínquas, não sei ainda, mas provavelmente fruto de alguma “promessa”, tão comum nessa região.

Há três anos acompanho essa comunidade, que como tantas outras vivem a sua fé com base naquilo que receberam das gerações anteriores, sem uma assistência maior pela Igreja Católica de Tarauacá.

Este ano foi um dos mais significativos ao longo destes anos. Primeiramente a imagem de São Sebastião que havia sido queimada foi substituída por uma nova vinda do Paraná. E vocês não imaginam o quanto isso significou para aquelas pessoas, seus olhos emitiam um brilho de esperança e carinho. Não se trata da imagem em si, isso é de menos, trata-se da fé que norteia a vida de cada um e que sem ela a vida seria muita mais insuportável. Um pequeno cortejo acompanhou a entrada da imagem na capela. Depois todos querendo uma fotografia segurando o santo padroeiro, que mais parecia uma celebridade de TV por tantos flesh’s.

Nas duas últimas noites a pequena capela estava repleta com pessoas vindas dos demais seringais e da cidade. Poucos bancos, a maior parte ficou em pé. E cantos, e palmas, e oração... Olhos e ouvidos atentos para o que eu dizia, como se minhas palavras naquele momento transcendesse o tempo e o espaço. E assim deveria ser. Senti arrepios, pois não há nada que me diferencie deles, a não ser minha opção de vida.

Mas, um dos momentos mais marcantes foi a procissão, que pela primeira vez foi feita na última noite da novena. Velas nas mãos e do meio da floresta acenderam-se chamas de esperança. E Deus sorriu para a Amazônia. Atravessamos campos, sob frondes de árvores, e breves paradas. Vez por outra quebrava a monotonia da floresta os estalidos fortes dos foguetórios. E viva São Sebastião!

Há, no entanto, muito a ser feito por aquela comunidade, a começar pela a construção da nova igreja em alvenaria. Já está quase pronta, mas faltam ainda portas, janelas, o piso, a pintura, a instalação elétrica, bancos, sistema de som. Algumas lideranças que se encontrava no momento se disponibilizaram a ajudar. O vereador Ezi Aragão doou R$1000,00 (mil), mais canoas caso precisem para o deslocamento dos materiais da cidade para a Capela; Raimundo Leite doou as lajotas para o piso; os dois outros vereadores Raimundo Furtado e Lulu disseram que auxiliariam no que fosse possível (creio que era apenas a euforia do momento, não vai dar em nada). Ano que vem divulgo quem de fato cumpriu a palavra.

Faço um reconhecimento em especial aos irmãos Hildo e Edivan Coelho, que sempre providenciam a viagem e todo o seu suporte, pelo carinho e atenção que a mim dispensam. Além do proprietário do Seringal Capela em nome do sr. João Tibucio.

E assim, foi mais um ano de muita fé, alegria e esperança no novenário de São Sebastião, na certeza de que este momento se encontra gravado em meu peito e todos que ali estiveram a custa de sorrisos, sonhos, e aquilo que mais o mundo carece, amor verdadeiro...


Veja vídeo e fotos dos momentos marcantes:


video


Chegada da imagem


Olha o passarinho!



Início da Procissão



Nas celebrações

Esssa casinha simpática é a cadeia da localidade


Agradecimento especial ao Comando de Operações Especiais (COE) de Cruzeiro do Sul, que fez um ótimo trabalho. Acima alguns.


Eta forró bom!

E muitas redes!

Um comentário:

manzas disse...

Chegar aqui e ver tamanha beleza
Numa pagina que fermenta alegria…
É sonhar acordado e voar na leveza
De poetizar tudo… porque tudo é poesia

Uma semana de paz e alegria…

O eterno abraço…

-MANZAS-