sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Filhos da Esperança

O filme “Filhos da Esperança” apresenta um enredo muito rico e interessante do ponto de vista filosófico. Narra a história num futuro, onde a humanidade sofre com a esterilidade, não há mais crianças e todas as mulheres estão estéreis. O filme é impactante.

O enredo do filme se dá na Inglaterra do ano 2027, praticamente o único país do mundo que ainda não caiu nas garras da revolução. Para demonstrar essa realidade o filme mostra inúmeros imigrantes enjaulados. O mundo é impactado pela notícia da morte do jovem Diego Ricardo, o ser humano mais novo do planeta com apenas 18 anos, já que misteriosamente todas as mulheres haviam se tornado estéreis. No meio de toda essa comoção, Theodore Faron (Clive Owen) tentando levar seus dias do jeito mais tranquilo possível, dentro de um mundo prestes a ruir, vê sua vida dá uma reviravolta, quando é seqüestrado pela ex-mulher (Julianne Moore), ativista de um grupo revolucionário chamado “Os Peixes”, para lhes fazer um favor: conseguir uma documentação para a jovem Júlia, a única mulher grávida do mundo, chegar à costa marítima sem ser presa pelo governo.


Uma das cenas mais significativas é quando Theo encontra Júlia no curral em meio às vacas e lhe revela a sua gravidez. A genialidade da cena está no contraste de apresentar a vida como um mundo calmo como os da vaca, enquanto o mundo dos homens é atormentado pelas guerras, pela violência. A partir daí, Theo assume a missão de levar a jovem ao seu destino que é encontrar o barco do Projeto humano, onde ela estará à salva. Nessa caminhada a jovem tem bebê, e passa a enfrentar as maiores dificuldades.


Outra cena interessante é a do barco, quando os dois chegam ao destino, eles não têm nenhuma noção do que os espera e não sabem se o barco que deveria os aguardar ainda está lá ou não. Nisso, ferido Theo morre, e fica apenas Júlia e a criança no barquinho até avistar o barco do Projeto Humano que os salva.
*
-- Isaac Melo --
Postar um comentário