segunda-feira, 4 de maio de 2009

UMA VIAGEM PELO PASSADO ACREANO

Para matar a saudade dos mais vividos
E despertar o amor dos mais jovens

As fotos a seguir, retiradas do site da Biblioteca do IBGE, retratam muitos aspectos peculiares do Acre. São prédios, ruas, cenas do cotidiano, casas etc. Algumas já nem existem mais, outras estão conservadas na memória dos mais antigos. Algumas fotografias são de autoria  de Tibor Jablonsky, Hernondino Chagas e Gilson Costa.
 
 

Balsas transportando borracha no Rio Acre em Rio Branco (AC)


Sede da Fazenda Corcovado em Tarauacá (AC)


Rua principal de Plácido de Castro (AC)


Rua Epaminondas Jácome em Feijó (AC)


Rua Cunha Matos em Rio Branco (AC)


Rua 17 de Novembro em Xapuri (AC)


Quartel de Destacamento da Guarda Territorial

Cruzeiro do sul (AC)


Praça da Bandeira Feijó(AC)


Porto de Cruzeiro do Sul

na margem esquerda do rio Juruá (AC)


Mercado Público de Sena Madureira (AC)


Mercado Municipal de Xapuri (AC)


Maternidade Bárbara Heliodora em Rio Branco (AC)


Igreja Matriz de Brasiléia (AC)


Hotel Chuí em Rio Branco (AC)


Estação Experimental Agrícola de Rio Branco (AC)


Cine Teatro Recreio em Rio Branco (AC)


Catedral de N.Sra. da Glória em construção
Cruzeiro do Sul (AC)


Casas da colônia penal de Rio Branco (AC)


Casa Comercial Gallo na Rua 17 de Novembro em Xapuri (AC)

Bar Municipal de Rio Branco (AC)


6 comentários:

ANCHIETA BATISTA disse...

Homem!

Junte todas essas preciosidades que existem em seu blog e comece a pensar em um excelente livro sobre o Acre. Há tópicos muito interessantes, com variedade nas abordagens. A respeito dessas fotos, prepare textos sobre cada uma! Ouça pessoas que tenham "causos" atinentes à época e ao local, a fim de ilustrá-las.
Tenho 64 anos e me sinto um saudosista juramentado. Claro que meu ambiente de juventude foi na Paraíba, mas parece que estou me vendo escondido nos ambientes dessas fotografias. Eram tempos difíceis, mas me ficam algumas dúvidas: será que realmente progredimos? Será que essa "modernidade" que dizemos haver atingido significa realmente avanço da humanidade?

Um abraço,

Anchieta.

Isaac Melo disse...

Caríssimo Anchieta,
até gostaria de fazer um trabalho desse, quem sabe um dia.
Mas por enquanto estou meio que de mãos atadas, quase não disponho de tempo, estou gastando grande parte dele em cima do meu Trabaho de Conclusão de Curso; por isso, Minhas leituras sobre o Acre acontecem mais na "calada da noite", mais como paixão do que como um estudo sistemático e aprofundado.Por enquanto, estou mais conhecendo, para um dia poder começar a rabiscar alguma coisa.
Sua visita a este blog só o enriquece, obrigado!

Katiana Assunção disse...

Concordo plenamente com o Senhor
Anchieta. Adoro vir aqui deliciar-
me com as histórias do meu Acre.

Vindo de um acreano de Alma, é
mais gratificante ainda. Você é
Admirável! Continue postando. ;)

Roberto Amazonas disse...

Ola, morei m Xapuri em 1966, junto com minha familia na Rua Cel Brandão,meu pai foi gerente do Banacre, enho muita saudade desse povo gentil e hospitaleiro, gostaria de compartilhar fotos tenho algumas bastante antigas...
Parabens!!
Roberto Amazonas

Isaac Melo disse...

Caro Roberto,
sinta-se à vontade em partilhar suas fotografias. Envie-nos e divulgaremos com todo prazer. Um forte abraço e obrigado por nos prestigiar!

garra disse...

as vezes eu fico imaginando quando minha mãe que é acreana da gema e toda familia dela é de sena madureira, contava pra gente ( eu e meus irmãos quando pequenos) sobre a dificil vida dos acreanos nos seringais e era também bem divertido dizia ela, quando ela e meus tios se levantavam bem cedo pra subir o rio iaco de canoa a remo para ir pro seringal muito bacana mesmo.