sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O NOME NA PEDRA...

Armando Nogueira *


Eram dois bons amigos. Jogavam futebol todo dia. Ambos atacantes, ambos igualmente bons de bola. Viviam numa fraternal tabelinha, dentro e fora de campo. Tão amigos eram que chegaram a selar um pacto: quem morresse primeiro teria que dar ao outro, com freqüência, notícias lá de cima. Um dia, lá se foi o Amaro, surpreendido no contra-pé por um infarto fulminante, mal saíra de uma pelada.

Passam-se os anos. Amaro não dá o menor sinal de vida – melhor, de morte. Lúcio, cá na terra, já tinha até esquecido um pouco o amigo. Tanto tempo. Cinco anos depois, uma noite, voltando de uma pelada, cai-lhe do céu a voz amiga do Amaro. Batem um papo. Lúcio vai logo contando as boas novas: está namorando uma loura, um avião. A pelada está cada vez melhor e a saúde nem se fala. Saúde de ferro. Lúcio confessa-se em lua-de-mel com a vida.

– Por falar em pelada – disse Amaro – tenho duas notícias pra te dar: a primeira é que vamos inaugurar um campinho aqui no céu. É uma beleza. Grama celestial. Um brinco. Dá gosto de jogar num campo assim.

– E a outra notícia? – pergunta, ansioso, o Lúcio.

– A outra, amigo velho, é que vamos voltar a jogar juntos. Eu vi lá teu nome lá na pedra. Tás escalado na ponta-esquerda do meu time. E o jogo vai ser semana que vem...

*
***
(que situação!!!... risos...)

REFERÊNCIA E SUGESTÃO
NOGUEIRA, Armando. O canto dos meus amores. Rio de Janeiro: Dunya Ed., 1998.

* Obs.: Armando Nogueira é acreano de Xapuri. Jornalista, escritor, apresentador, é considerado um dos maiores cronistas do esporte brasileiro. No Acre, como reconhecimento pelo seu trabalho, seu nome foi dado a uma das escolas modelos do Estado. Logo mais postarei uma resenha sobre o livro citado acima. Aos amantes do esporte, sua leitura é imprescindível.

2 comentários:

Manhosa LobaVirtual disse...

Querido Amigo do Coração

Coisa... coisas que não se explica...
Coisas de coração... de amigos...
Para todo o sempre... risos...

Bjs.

Lu disse...

Rs! e agora o que fazer! É meu amigo! Porém, quem de nós aceitaria numa boa ir p/ o outro lado* complicado! Acho, que o interessante seria Lúcio implorar p/ o amigo reverter a situação, deixá-lo por uns 60 anos...

Muito bom, esse conto!