quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O SOL DE CADA UM

O sol é o mesmo em todo lugar. O que o torna diferente é a maneira como cada um o enxerga. Não há poesia mais bela que um pôr-do-sol, escrita por Deus por sobre as copas das árvores ou por sobre as curvas das montanhas, e declamada no canto suave dos pássaros que vão repousar ao abrigo do horizonte.
Oferto aos amigo/as esta poesia em imagens do pôr-do-sol da pacata e bela cidade de Palmas de Monte Alto (Bahia), meu novo lar. São imagens captadas por lentes de fotográfica simples, por mim feitas, na qual luz e emoção são apreendidas!









"É morno o pôr-do-sol no cerne dos queixumes,
Qual jato de água curvo ao vento, é todo ocioso,
Em mim, o entardecer, fingido e vagaroso,
Brota, descendo sobre os reflexos negrumes."
                                                                   
                                                               Fernando Pessoa

5 comentários:

Palazzo disse...

Você está se tornando um exímio fotógrafo!

Denise disse...

Uau, que fotos lindas! :D Adoro por do sol, e o nascer também.
Mas quando ele torra demais dá vontade de sair correndo hehehe.. Eu tenho saudades da época que eu morava em SC no inverno (quando tinha inverno de verdade lá).. Aquele céu suuuuuuuuuuuuuper azul, sem nenhuma nuvenzinha pra contar a história. Aquele sol gostoso, que esquentava na medida certa... E no máximo 15 graus ao meio dia... hehehehe.
[]s

Blog do Gilvan disse...

Isaac:
Quando puder diga aos seus leitores o que está fazendo aí, ok?
abraços e boa sorte.
Gilvan Almeida

Lu disse...

Amigo! que belo pôr-do-sol! Lindas fotos*

"O sol entrou no meu quarto

fechei a janela;

o sol bateu na janela;

sai pra ver o sol;

o sol tocou-me;

a noite sonhei com o sol;

o sol está em mim;

o sol vive em mim;" ass: Lu*


Abraços!

Sonia Schmorantz disse...

Não há poema mais perfeito que aquele escrito pela natureza quando ressurge da longa noite...
Um abraço, linda semana