quinta-feira, 27 de novembro de 2014

AUSÊNCIA

Isaac Melo


Escrevo para aquela ainda ingerada
porém já reconhecida
na face  sempiterna  da  madrugada

amo-te agora

e quando me  fugir a  existência
serás a única presença
a habitar toda a minha ausência
Postar um comentário