segunda-feira, 17 de agosto de 2015

GRITOS E LAMENTOS

Jorge Araken Filho


Quero te encontrar nos teus desvios e atalhos, nos vãos e reentrâncias dos teus desencontros, nas palavras que não disseste, nos enganos e desenganos da tua existência humanamente medíocre, no reflexo do teu Narciso, no eco das tuas dores surdas.

Mas não me tome por um louco enamorado do teu vulto de fantasma: não vou devolver teus lamentos e rancores, não vou ecoar teu grito de agonia. Vou transformá-los em leves sussurros, que o tempo haverá de dissipar.


*Texto retirado da página do autor:
Postar um comentário