quinta-feira, 21 de junho de 2018

ANDRÉ AMAZONAS

André Amazonas nasceu em Caapiranga, no interior do Amazonas, onde começou tocando cavaquinho, instruído pelo pai. Aos 16 anos, já tocando saxofone, passa a viver em Manaus, onde ganha a vida como músico de shows e bailes. Aos 20 anos, sofre uma doença de pulmão que o afasta do Exército e da banda militar. Sem poder tocar saxofone, escolhe a guitarra para desenvolver seu talento musical. Em seu novo instrumento, consagra-se como um dos principais músicos dos anos oitenta na região.

Nesse período lança quatro discos – “Brincando com as cordas” (1985), “Uma guitarra especial” (1986), “Uma guitarra na lambada” (1987) e “A guitarra do povo” (1989). Os quatro discos são exemplares da musicalidade amazônica construída na década de oitenta, que resultou na lambada e na guitarrada. Exímio instrumentista e dono de um estilo particular, André Amazonas valorizou como poucos a guitarra e a música popular regional.

Alguns anos atrás, sofrendo de mal de Parkinson, terminou seus dias tocando em igrejas em Manaus. Antes de morrer, em 2015, mesmo com visível dificuldade, ele entrou no estúdio, acompanhado de Manoel Cordeiro, para registrar sua participação no disco "Guitarreiro", de Rosivaldo Cordeiro. André Amazonas é irmão de Nonato, outro grande instrumentista amazonense que, ao contrário do irmão, fixou-se no cavaquinho, onde fez escola. O primeiro disco e o quarto de André Amazonas foram gravados no estúdio da Gravasom, em Belém. 

Fernando Rosa 

quarta-feira, 20 de junho de 2018

ESTÁDIO COLISEU TARAUACAENSE

O Estádio Coliseu Tarauacaense foi inaugurado em 1985. Construído com recursos liberados pelo governo de Nabor Júnior, através da extinta Fundação dos Recursos Humanos, da Cultura e do Desporto (FRHCD), com apoio da prefeitura municipal, ficando a cargo da administração da Liga Tarauacaense de Desportos (LTD). O engenheiro responsável foi José Carlos Freire. Posteriormente teve o nome mudado para “Estádio Nabor Júnior”, o popular “Naborzão”, em homenagem ao então governador, que, também, é natural de Tarauacá. As arquibancadas comportam cerca de 700 torcedores. Nos últimos anos, o estádio tem passado temporadas fechadas, devido o abandono e descaso de seus responsáveis, seguindo avante, graças aos esforços, dos próprios desportistas.
 
Placa do início da construção do Coliseu Tarauacaense.

Vista parcial da construção do estádio do Coliseu Tarauacaense.

Vista parcial da construção do estádio do Coliseu Tarauacaense.

Vista parcial da construção do estádio do Coliseu Tarauacaense.

Vista parcial da construção do estádio do Coliseu Tarauacaense.

Vista parcial da construção do estádio do Coliseu Tarauacaense.

Construção das arquibancadas do estádio do Coliseu Tarauacaense.

Construção das arquibancadas do estádio do Coliseu Tarauacaense.

Muro do Coliseu Tarauacaense.

O Naborzão em 2015. Foto: Pedro Devani/Secom 

terça-feira, 19 de junho de 2018

AVIAÇÃO NO ACRE: documentário fotográfico

Hidroavião Taquari no rio Acre, ao fundo o vapor Benjamin.
Data: Década de 30
Acervo: José Chalub Leite
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM

Hidroavião no segundo distrito.
Data: Década de 30
Acervo: José Chalub Leite
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM

Hidroavião Taquari no rio Acre, ao fundo o vapor Benjamin.
Data: Década de 30
Acervo: José Chalub Leite
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM

Chegada do avião Taquary no estirão do Bagé Bairro do 15.
Data: 05 de maio de 1936
Acervo: José Chalub Leite
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM

Avião Taquary PP-CAP.
Acervo José Chalub Leite
Data: Década de 30
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM

Decolagem de um avião com referências de série PP – CAO.
Acervo: José Chalub Leite
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Avião Douglas C – 47
Data: 1940
Acervo: Fundação Garibaldi Brasil
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Embarque de borracha laminada para São Paulo.
Data: 1948
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Abastecimento de avião
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Avião sendo retirado de um atoleiro por trator, com as seguintes referências PP-PAM
Data: Década de 40
Acervo José Chalub Leite
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Taquary - Primeiro Avião que chegou no Acre.
Data: 1936
Acervo: José C. Leite.
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Estação de passageiros do aeroporto Salgado Filho. Rio Acre cheio observa-se um barco ancorado.
Local: Rio Branco - AC
Foto: Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Estação de passageiros do aeroporto Salgado Filho. Rio Acre cheio observa-se um barco ancorado.
Local: Rio Branco - AC
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Estação de passageiros do aeroporto Salgado Filho.
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Inauguração da linha aérea Acre/Pará.
Reprodução do relatório do arquivo geral de 1960.
Local: Rio Branco - AC
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Inauguração da linha aérea Acre/Pará.
Reprodução do relatório do arquivo geral de 1960.
Local: Rio Branco - AC
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista parcial de um hangar com três aeronaves e alguns funcionários em frente.
Local: Rio Branco - AC
Reprodução: Araújo
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Comunidade trabalhando na construção do campo de pouso do primeiro aeroporto de Rio Branco, o Aeroporto Salgado Filho.
Data: Década de 40
Local: Rio Branco - AC
Reprodução: Araújo
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista parcial de hangar.
Local: Rio Branco - AC
Reprodução: Araújo
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista parcial do hangar-pista.
Local: Rio Branco - AC
Reprodução: Araújo
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista parcial do embarque de mercadoria no avião “Itaú”.
Local: Acre
Reprodução: Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Dona Lídia Hammes, esposa de Guiomard Santos, batizando um avião de propriedade do Território – Barão de Mauá.
Data: Década de 40
Local: Acre
Reprodução: Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Guiomard Santos discursa por ocasião da compra do avião de propriedade do Território – Barão de Mauá.
Reprodução: Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Embarque da borracha laminada pelo processo Arantes para São Paulo.
Local: Rio Branco - Acre
Reprodução: Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Governador José Guiomard Santos com a equipe de vôo e senhoras.
Local: Acre
Reprodução: Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista parcial de dois aviões na pista de pouso.
Local: Acre
Reprodução: Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista parcial de um avião de carga (Friball) há também presença de grupo de pessoas.
Reprodução: Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista da lateral esquerda do avião pertencente ao Governo do Território do Acre.
Reprodução: Araújo
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista da lateral esquerda do avião pertencente ao Governo do Território do Acre.
Reprodução: Araújo
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Casal desembarcando.
Foto: Rep. Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Animais (gado) próximos ao avião que irão transportá-los.
Foto: Rep. Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Desembarque de animais
Foto: Rep. Cirisan
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Avião da Lloud Aéreo Boliviano “moxos”.
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM

Pessoas desembarcando do avião Cruzeiro do Sul no campo de pouso.
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM

Grupo de senhores próximo a um avião.
Acervo Digital: Dept° de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista parcial de um avião (PP ETA), “parado” no campo de aviação.
Local: Brasiléia - AC
Reprodução: Argemiro Lima
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM

Vista parcial do avião peruano “Bolenose” parado na água a margem do rio.
Local: Acre
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural – FEM

Vista parcial do primeiro avião que chegou a Cruzeiro do Sul. Aquatizou no Rio Juruá próximo ao cais. O avião chamava-se “Traveca” e veio para pesquisar petróleo na região em 1939.
Local: Cruzeiro do Sul - AC
Acervo Digital: Deptº de Patrimônio Histórico e Cultural - FEM