quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

A COISA QUE MAIS QUERO

"O amor é a coisa mais alegre
amor é a coisa mais triste
amor é coisa que mais quero.
Por causa dele podem entalhar-me,
sou de pedra sabão.
alegre ou triste,
amor é coisa que mais quero."


Adélia Prado / Poesia reunida

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

A FÉ QUE MOVE RIOS E FORTALECE O POVO

Assim que se dobra a curva do rio enxerga-se um pequeno conjunto de casas que durante o ano leva uma rotina pacata como de qualquer outro seringal. Mas, a partir de 11 até o dia 20 de janeiro, anualmente, a rotina daquele lugar se transforma de modo impressionante: várias canoas aportam na localidade vindo de outros seringais e da cidade, inúmeras pessoas sobem e descem a escada que dá acesso à casa, o trapiche (espécie de ruas) fica apinhado de gente comprando, vendendo ou olhando a paisagem, foguetes estouram nos céus... É o famoso Novenário de São Sebastião que ocorre anualmente no seringal Capela, Rio Muru, no interior de Tarauacá.

Durante as nove noites ocorre a tradicional novena. Mas, é nas duas últimas noites que a festa chega ao seu auge. Muitas pessoas vêm pagar suas promessas, agradecer as graças alcançadas, fazer o seu pedido, outras conhecer o lugar e se divertir à noite, nos bailes.

O Novenário deste ano (2010) foi um dos mais belos de sua história e um dos mais movimentados. Na última noite (19) centenas de pessoas apinhavam o trapiche à espera do início da procissão, que começou pontualmente às 19 h e percorreu trechos do campo da localidade. O povo com velas na mão, com a cruz abrindo caminho e a imagem de são Sebastião logo atrás, marcharam com muita fé e devoção, cantando e rezando.

A procissão concluiu-se com a Santa Missa presidida pelo pároco de Tarauacá Pe. Aymar, juntamente com o Pe. Aureliano, auxiliados pelo seminarista Isaac Melo. Numa homilia profunda, profética e necessária, Pe. Aymar conclamou o povo a reivindicar seus direitos e pediu dos políticos presentes mais compromisso e responsabilidade para com o povo e a nossa cidade. Pe. Aymar falando aos presentes disse: “Que Deus perdoa quando se maltrata uma pessoa, mas quando se maltrata um povo não perdoa jamais” e finalizou pedindo a todos que não fossem cristãos apenas de boca, mas de ação. Deus deve ser adorado com ações, não com palavras. Agradeceu a todos os que se empenharam na construção da Igreja e convidou a todos a se divertirem com respeito e sem violência.

Mais uma vez o povo da Capela e redondeza realizaram um bonito Novenário, onde a maioria foi para rezar e se divertir. A violência foi zero praticamente. Tudo isso graça ao empenho e competência do Comando de Operações Especiais (COE) que prestou todo o trabalho de segurança aos fiéis e a população de modo geral.

A única exceção que fazemos, diz respeito a alguns políticos, que de uma forma mesquinha e hipócrita se apropriaram do púlpito da igreja para tentar justificar o injustificável, aquilo que eles deveriam ter feito na Câmara de vereadores durante o ano inteiro e não fizeram. Em nenhum momento, em nenhuma das celebrações foi citado nome de político. Evangelizar é profetizar. Jesus nunca fez exceção, cobrou dos pequenos e dos grandes, denunciou as injustiças e expulsou do templo aqueles que queriam fazer do lugar uma casa de comércio. E hoje devemos fazer o mesmo com aqueles que querem fazer da casa de Deus um palanque para justificar a pequenez de seus atos e a mediocridade de suas vidas. Antes de prestar contas a Deus, deve-se prestar ao povo.

Se o Novenário foi um sucesso foi graças ao povo, que participou, colaborou e há mais de meio século se reúne em plena selva amazônica para se encontrar e reencontrar com Deus, louvá-lo e agradecê-lo, por intermédio de São Sebastião. Este nos livre da peste, da fome e da prepotência! Amém.

O trapiche interliga o conjunto de casas com a Igreja

Ainda falta muita coisa para se concluir a obra da Igreja, diferente do que se veicula por aí de que a obra já está pronta!

Pe. Aymar presidiu a santa missa

O jovem Nelton fez o nome na fachada da Igreja, a pedido de vereador




Do trapiche da localidade reúnem-se as pessoas para conversar e admirar a paisagem!

Muitas pessoas estiveram na procissão.


Sob um céu dourado, com iminência de chuva, a procissão percorreu partes do campo em torno da Igreja!

Devotos carregaram a imagem de São Sebastião!

O novenário encerrou-se com a santa missa!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O QUE É RELATIVISMO?

Profa. Inês Lacerda Araújo


O primeiro filósofo relativista foi Protágoras, para quem o homem é a medida de todas as coisas, quer dizer, o que cada um pensa, sente, conhece pertence a cada um, é próprio daquela determinada pessoa.

Ao longo da história da filosofia houve vários filósofos relativistas, o que há de comum a eles é a doutrina de que tudo muda com a história, com as culturas, com a diversidade de atividades de grupos, indivíduos, sociedades.

A pergunta é, como então as pessoas e as culturas se entendem, se comunicam?

Através de signos e línguas que podem ser traduzidos e interpretados, através de tipos diversos de comunicação que nos permitem compreender e aceitar ou não valores e comportamentos de outros.

Em comum a todas as culturas há aquilo que Wittgenstein chamou de solo comum, que não precisa ser posto em dúvida sem pôr em risco as formas de vida humanas. Por exemplo, duvidar de que temos um corpo, de que a Terra existe há milhões de anos, de 2+2=4, não faz nenhum sentido!

Mas pensar que há verdades absolutas e que elas ficariam livres de questionamento, é também uma exigência absurda.

Vemos o mundo de nosso ponto de vista, o que implica que o vemos, que o interpretamos, que vivemos situações que nos mudam e que mudam o que nos cerca.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

ESSAS COISAS NOS ENTRISTECEM!

Fiquei decepcionado com a atitude do vereador Lulu Néri, acerca do que divulgou sobre o Seringal Capela, em seu blog. Não diga que esta obra é sua nem da prefeitura. Respeite as várias pessoas que colaboraram para que a obra ficasse pronta, não queira ganhar o mérito em cima do trabalho dos outros. Fiquei e estou muito decepcionado com sua postura. Senhores "Dai a Deus o que é de Deus, e a César o que é de César".

Isaac Melo

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

O TESTAMENTO

"Como os pássaros, que cuidam de seus filhos ao fazer um ninho no alto das árvores e nas montanhas, longe de predadores, ameaças e perigos, e mais perto de Deus, deveríamos cuidar de nossos filhos como um bem sagrado, promover o respeito a seus direitos e protegê-los".

Zilda Arns, em seu último discurso a ser proferido no Haiti.

DOUTORA AMOR!


Morreu Zilda Arns, pediatra, sanitarista, nascida em 1934, mãe de 5 filhos e avó de 9 netos. Fundadora das pastorais da criança e da pessoa idosa. Ai de mim que não ajudo a ninguém. Ai de mim que gasto meu tempo em futilidades, passo o domingo inteiro assistindo a partidas de futebol e a programas de comentário esportivo.

Ai de mim que sou um mau pai, que não dispenso mais que alguns poucos minutos entretendo meus filhos, mas pelo contrário, tenho preferido tratar de assuntos de interesse particular. Ai de mim que sou um mau marido e não tenho paciência de ouvir minha esposa, após um dia inteiro em que ela cuida ao mesmo tempo das crianças, da casa e das coisas de seu trabalho.

Ai de mim que estava no conforto do meu lar, quando a Dra. Zilda dedicava seus últimos dias ao povo do Haiti, um dos países mais pobres do mundo, assolado por crises políticas e frequentemente alvejado por desastres naturais.

Ai de mim e do meu miserável egoísmo. Quem sabe agora eu levante o meu traseiro gordo da cadeira e vá fazer alguma coisa de útil para o próximo, tentando seguir o exemplo desta honrada mulher e excelente brasileira.


Flávio Amado (Leitor do Jornal O Globo)

***

sábado, 9 de janeiro de 2010


Todos os anos, no dia 20 de Janeiro, ocorre no Seringal Capela, rio Muru, em Tarauacá-Ac, o famoso novenário de São Sebastião. Essa tradição Católica com mais de meio século de existência é uma das mais belas demonstrações de fé do povo dessa região, em plena floresta amazônica.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

QUANDO A RELIGIÃO AJUDA E QUANDO A RELIGÃO ATRAPALHA

Profa. Inês Lacerda Araújo


A crença em qualquer credo religioso é benéfica para aquele que crê e para os outros quando possibilita tolerância, aceitação de outras crenças e credos, e quando contribui para o engrandecimento de própria pessoa.

Qualquer crença é prejudicial quando ocorre o inverso, quando o crente considera que a sua fé é a única verdadeira e todos os outros são considerados como sendo os "infiéis" e muitas vezes são perseguidos e mesmo mortos. A história tem mostrado que sempre que uma religião quer se impor, há morticinio, ou seja, algo que nenhuma religião deveria permitir.

Com a modernidade veio também a possibilidade de optar por ter ou não sua fé, seu credo, seu modo de viver e de assumir para sua vida os princípios de uma crença.

E assim deveria ser, se você pratica uma fé ou participa de algum grupo ou seita, que isso seja feito para seu próprio encontro com algo que você procura e que pode ampliar sua visão de mundo.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

A EPOPEIA DA FÉ

NO RIO MURU, UM GRUPO DE HOMENS CATÓLICOS ERGUEM A MAIOR IGREJA DA HISTÓRIA DAQUELE RIO


Certa vez Jesus, ao curar um endemoninhado epilético, disse aos discípulos que se eles tivessem fé como um grão de mostarda seriam capazes de transportar uma montanha daqui para lá, pois nada seria impossível. Assim resumiria o trabalho de um grupo de homens que ergueram no meio da floresta amazônica uma singela e bonita Igreja, dedicada ao santo protetor das guerras e pestes, São Sebastião.

É no Seringal Capela, Rio Muru, distante um dia de barco da cidade de Tarauacá que nasceu a devoção popular à São Sebastião, nessa região, quando um dos proprietários do seringal começou a rezar a novena em sua própria casa com alguns parentes. A devoção foi crescendo e a casa já era pequena para acolher tantas pessoas que começaram a acorrer ao santo. Foi, então, construído um pequeno oratório. Tempos depois, a novena passou a ser feita numa capela de madeira.

Hoje, mais de cinqüenta anos decorridos do início da devoção, uma Igreja em alvenaria, grande e espaçosa está em fase de conclusão. Acolherá um número maior de peregrinos, num ambiente mais confortável e propício a oração. Tudo isso, sem nenhuma ajuda da Igreja Católica de Tarauacá, que até hoje nunca deu uma atenção devida à comunidade, mas graças à fé de homens e mulheres simples que se entregaram de coração para preservar a devoção e construir o templo em alvenaria.

E as dificuldades não foram poucas para a construção. Homens carregavam pesados sacos de areias nas costas, outros abriam enormes buracos retirando terras para o piso, uns quebravam tijolos, outros pintavam. Todo o material veio da cidade, em canoas, o que dificultava ainda mais a construção. Foram dias cansativos, de muito trabalho, mas não houve uma reclamação, a alegria foi constante. Deus estava com eles.

Os trabalhos da construção da nova igreja iniciaram-se com a família proprietária do seringal Capela, a saber: o saudoso sr. Antônio Tibúcio, sr. João Tibúcio e Mirabor Leite. Desde então os irmãos Hildo e Divan, juntamente com amigos deram continuidade à construção, dentre eles: Lázaro, Nacélio, Valdor, Jelson, Uesse, Bira e Celino. A comunidade católica de Tarauacá deve muito a esses homens, que movidos pelo espírito de Deus fizeram uma das mais belas manifestações da fé: o sacrifício.

Também somos gratos aos amigos, políticos e empresários que contribuíram financeiramente ou materialmente para a realização da nova igreja, dentre eles: vereadores Lulu Neri, Ezi Aragão e Raimundo Furtado, Raimundo Leite, Romerez, Roberto (Xeleléu).



Muita disposição para escavar o barro e levar para o interior da igreja.


Tijolos sendo quebrados para concreto!

O preparo da massa de cimento.

Areia foi carregada às costas.

Em alguns momentos foi necessário um boi de arrasto.

Socando o concreto.

Assim estava a igreja no início da obra.

Uma parada para a comida...

...outra para o descanso.



O piso todo lajotado.

Hildo realizando a instalação elétrica.

Nacélio colocando as lajotas.

Valdor rebocando a parede.





Hora da pintura.

A equipe

Os irmãos Hildo e Divan que mais tem contribuido e incentivado o novenário nesses últimos anos.

Quase pronta!