quarta-feira, 21 de julho de 2010

NÃO QUERO PARTIR

Fernando Pessoa



Sinto-me nascido a cada momento
para a eterna novidade do mundo...
Creio no Mundo como num malmequer
porque o vejo. Mas não penso nele
porque pensar é não compreender...
Ah, como os mais simples dos homens
são doentes e confusos e estúpidos
ao pé da clara simplicidade
e saúde em existir
das árvores e das plantas!

Sejamos simples e calmos,
como os regatos e as árvores,
e Deus amar-nos-á fazendo de nós
belos como as árvores e os regatos,
e dar-nos-á verdor na sua primavera
e um rio aonde ir ter quando acabemos!...


Fernando Pessoa/Alberto Caeiro

***    *    ***

Foto: Galeria de criber
Postar um comentário