quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

PARA VERDES CAVALEIROS - Clodomir Monteiro


Cavaleiro galopa letra amansa
de verdes ver atol da esperança
ao ver brilhar no céu planeta vênus
madruga e dança belo Peter Pança

vai galopando a palavra vesgo
na noite circulando sonho alcança
jamais denota esmos em si mesmos
amadurece a sazão da infância

coração trota esperando o mote
que escreveu e conviveu com simpleces
o seu chicote acalma Don Quixote
ao ler Machado pega sua acha

mas conta o conto do cavalo obeso
por ter comido e soletrado os príncipes
e a gulodice deixou ventre preso
ficou rodando de cabeça baixa

agora trota ao largo do meu passo
cavalga coração não quer cabresto
é como é, e não aperto o laço,
não se perde nem eu enfarto o texto

---

* Clodomir Monteiro é um dos maiores nomes da poesia acreana. Atualmente presidente da Academia Acreana de Letras.
** Poesia publicada originalmente em O QUARTO LADO DA VIDA, do próprio poeta.
Postar um comentário