quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

ITU ACREANA

Para quem não conhece o Acre, Tarauacá, cidade onde nasci, um pouco mais de 400 km da capital, é conhecida como “terra da mulher bonita e do abacaxi grande”. Verdade é que mulher bonita em todo lugar há (graças a Deus!), só depende do olhar de quem vê. Agora abacaxi grande, nem a hiperbólica Itu compete com o nosso. Quando falo isso a alguns amigos por onde passo, eles perguntam qual tamanho, respondo: bem, o último só a foto pesou 4 kg. Na dúvida, tenho uma fotografia, ‘captada’ pelo Nylson Oliveira no blog do amigo Kbym, que confirma o que digo. Um carro transportando um pequeno abacaxi no centro de Tarauacá. Se continuar cético, é só ir lá, e comprovar. E ainda nem falei das couraças de tatu que serviam como oca de indígenas algumas centenas de anos atrás. Bem, isso fica para outra ocasião.

Aproveitando o ensejo, me lembrei de uma outra anedota contada pelo inesquecível jornalista José Chalub Leite sobre um ‘causo’ acontecido com o memorável ex-senador e governador Jorge Kalume. Acerca de A MINHOCA DO KALUME, diz Zé Leite:

"Governador do Acre, Jorge Kalume decidiu marcar presença acreana com produtos da terra na Feira dos Estados em Brasília. Providenciou a importação de abacaxis gigantes de 22 quilos de Tarauacá, macaxeiras de porte avantajado, “pélas” de borracha de 150 a 200 quilos, cajus sumarentos e grandões, ouriços de castanha-do-pará, enfim, produtos da terra de fazer queixo de brasileiros e brasileiras caírem. A expo de Kalume foi sucesso. 

Um grupo de militares admirava o tamanho dos abacaxis e outros itens, JK empolgado descrevia a fertilidade do solo acreano. Na andança, param diante de uma pele de jibóia e antes que o governador falasse alguma coisa, um coronel interpelou-o: 

– Governador Kalume, pelo amor de Deus não me vá dizer que isso aí é o couro de minhoca do Acre! 


Anedota retirada de: LEITE, José Chalub. Tão Acre: Humor acreano de todos os tempos. Rio Branco: BOGRAF Editora Preview Ltda, 2000.
Postar um comentário