sexta-feira, 31 de maio de 2013

HISTÓRIA DA MORTE EM TEERÃ

Viktor E. Frankl


Isto me lembra de uma velha história da morte em Teerã. Estava um persa rico e poderoso passeando certa vez pelo parque de sua casa, em companhia de seu criado. Este se põe a lamentar que acabou de ver a morte ameançando-o levá-lo. O criado implora a seu amo que lhe dê o cavalo mais rápido para se pôr imediatamente a caminho e fugir rumo a Teerã, onde ele queria chegar naquela mesma noite. O amo lhe dá o cavalo, e o criado parte a galope. Caminhando de volta para casa, o próprio amo se depara com a morte e passa a interrogá-la: “Por que assustaste meu criado desta forma, por que o ameaçaste?” respondeu-lhe a morte: “Ora, não o ameacei! Nem quis assustá-lo. Apenas me admirei, surpresa com o fato de vê-lo aqui, pois devo encontrá-lo em Teerã ainda hoje à noite!”.
FRANKL Viktor E. Em busca de sentido. Petrópolis: Sinodal/Vozes, 2001. p. 58-59
Postar um comentário