quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

MENSAGEM DE AMOR

Rio de Janeiro –17/02/2016

Um Poema de ‘Carinho’ que muita gente gostaria de declamar para o seu amor; mas, às vezes falta coragem de falar em voz alta (recitar), principalmente, em público; entretanto, se tratando de amor, tudo é válido. 

Esta escrevedura poética (escrita de pouca importância) com esta declaração de ‘amor’ (não sou poeta), rabisquei no ano de 1965, (aos 19 anos de idade) na cidade de Rio Branco, Capital do Estado do Acre.

No decorrer da vida da gente aparecem vários amores, entretanto, só ‘um’ será o verdadeiro. Naquele momento, num veículo, eu fazia uma ‘Propaganda Volante’ do filme em cartaz de um cinema da cidade; de repente, na minha frente, surge a imagem de uma ‘bela mulher’; olha para mim, com um sorriso franco e, como um raio, desaparece na estrada.

Durante algum tempo fiquei à sua procura, mas nenhum paradeiro da misteriosa e graciosa mulher; nem na estrada, lugar em que eu tinha lhe visto pela primeira e única vez, não apareceu mais.

Aos 16 anos
A menina moça (ia fazer 16 anos) demorou a reaparecer; eu fiquei na maior alegria quando lhe fui apresentado por um amigo meu e dela.

O diálogo entre eu, o amigo e ela foi agradável; notei que ela tinha gostado da conversa. Porquanto, tinha um empecilho: ela tinha um namorado; mas não desanimei.

No sábado ia ter um grande show da famosa cantora Ângela Maria; falei para ela que o apresentador do espetáculo seria eu; ela confirmou sua presença.

No dia do show, lá estava ela e as amigas nas primeiras filas das cadeiras do cinema e sem o namorado. Estava nervoso, não pelo espetáculo, já tinha apresentados outros e sim, só por causa da presença dela.

Faço a abertura do musical, Ângela Maria vai interpretando as músicas de maiores sucessos de seu repertório. Nos rápidos intervalos, Ângela sempre se dirigia a mim; brincava comigo, me achava um menino (19 anos).

Na última musica do encerramento do show, a cantora passou à metade da canção, abraçada comigo, numa ação carinhosa e educada.

Dias depois, encontrei com umas de suas colegas e por sinal também estava no show; faz-me uma revelação.

Diálogos:

[Amiga] – Há um grande segredo para ti revelar.

[Eu] – Segredo?

[Amiga] – Sim! Saavedra. – A menina ficou morrendo de ciúme de ti quando a Ângela Maria ficou abraçada com você.

[Eu] - Você jura?

Noiva
[Amiga] – Sim! Eu juro?

A partir daquele momento, eu era “O homem mais feliz do mundo”. Namoramos quatro anos (4) e quando ela completou 20 (vinte) anos nos casamos.

Agora, depois de um longo tempo de uma vida toda vivida ao meu lado, que soube enfrentar todos os dissabores e percalços sem nunca recuar, criei coragem e torno público, para que os amigos também compartilhem dessa minha longa felicidade.

Esta história pode ser igual a tantas outras de mundo afora.


AMOR DA MINHA VIDA
Gilberto A. Saavedra (Romântico)

QUANDO APENAS,
PELA PRIMEIRA VEZ EU TE VI
VOCÊ LOGO ME CONQUISTOU
LEVEI APENAS UM SEGUNDO
POR VOCÊ, EU ME ENCANTAR
ENTREMENTE, NO SEGUINTE SEGUNDO
VOCÊ DESAPARECEU.

FOI AMOR À PRIMEIRA VISTA, VOCÊ ME FASCINOU
COM TEUS ENCANTOS NATURAIS NA BELEZA DA SUA JUVENTUDE
TU ÉS BELA DE NATUREZA, DESDE QUE AO MUNDO CHEGOU
É UM COLÍRIO PARA OS OLHOS, POR QUE DEUS TE CRIOU ASSIM
ENFEITIÇANDO A TODOS, QUE MORREM DE AFEIÇÃO,
COM TEU ANDAR FACEIRO, LOGO PERDI A RAZÃO.

NÃO ME IMPORTO COM O QUE FALAM
PORQUE ESTOU LOUCO POR VOCÊ
DE TUA BELEZA DE MULHER
QUE MEXEU MEU CORAÇÃO

MEU AMOR, MINHA QUERIDA, MINHA FLOR, MINHA VIDA
NÃO ERA PARA EU ESTAR
NAQUELE ABENÇOADO LUGAR.

MAS ELE, O DESTINO, EXIGIU
QUE EU TE VISSE E ME EXTASIASSE
DO TEU CORPO BELO E PURO
OU DE UMA IMAGINÁRIA VISÃO.

PORÉM, O SUFICIENTE, PARA EU QUERER TE NAMORAR
QUE FEZ BATER BEM FORTE DENTRO DO MEU JÁ FRACO CORAÇÃO
EXPLODINDO DE AMOR, DE UMA DESVAIRADA ILUSÃO.

MINHA ROSA, MEU JARDIM
LÁBIOS, DOCE DE MEL
COM O SORRISO ENCANTADOR
QUE ME DESMORONOU.

QUEM É VOCÊ MENINA MOÇA,
QUE ARREBATA AS RÉDEAS DO MEU CORAÇÃO
E FAZ DE MIM O SEU SERVO SOFREDOR
COM O OLHAR SERENO DA LUA
ILUMINANDO O TEU LINDO ROSTO
QUE REGOZIJA O ÁPICE DO DESEJO
TENDO SOMENTE OS DEUSES, COMO TESTEMUNHAS.

INFELIZMENTE,
VOCÊ NUNCA APARECEU...
DESTE AMOR À DISTÂNCIA
QUE EU JAMAIS TE IGNOREI.

ESTOU MORRENDO, MINHA AMADA
NESTE QUIMÉRICO SONHO,
DE UM AMOR PLATÔNICO.

MESMO ASSIM, RECITO
ESSE POEMA DE AMOR
COM POESIAS ENAMORADAS
DEDICADAS À MINHA AMADA
MEU AMOR MINHA QUERIDA
‘AMOR DE MINHA VIDA’.

MAS, COMO ADESTREI LÁ NO INÍCIO
COMO TUDO ADVEIO
LEVEI APENAS UM SEGUNDO
PARA VOCÊ ME DESLUMBRAR
PORÉM, NO SEGUNDO SEGUINTE
VOCÊ DESVANECEU.

DE UM AMOR QUE PERMANECEU NA MINHA IMAGINAÇÃO
POIS VOCÊ NUNCA SOUBE DA MINHA ALUCINADA ILUSÃO
E DURANTE MUITO TEMPO, EU NÃO PUDE ME ACALMAR
E SÓ O TEMPO FEZ, A MINHA CABEÇA ESFRIAR
DE UM AMOR DE FANTASIA QUE EU MESMO INVENTEI
Atualmente.

DESSE AMOR DA MINHA VIDA
QUE JAMAIS EXISTIU
FOI SOMENTE UM SONHO
QUE EU APENAS CRIEI.


Escrevi no tempo e na emoção, o que pedia, o meu jovem coração; textos singelos e convictos de dentro de minha alma e da razão, quando eu vi a mulher da minha vida, pela primeira vez; só depois de muito tempo é que eu a conheci; casamo-nos em ‘1970’ e tudo vingou; já se passaram 51 anos, e continuo amando o “O amor de minha vida”. Tenho uma querida filha e um netinho.

Gilberto A. Saavedra - Rio de Janeiro – 17/02/2016.

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém...
Posso apenas dar razões para que gostem de mim...
E ter paciência para que a vida faça o resto...
William Shakespeare
Postar um comentário