terça-feira, 2 de agosto de 2016

POEMA DE AMOR AO RIO DE JANEIRO

Homenagem de carinho ao Rio 2016 sede dos Jogos Olímpicos, a maior competição esportiva do Mundo. Sou do Acre, gosto e amo minha terra com orgulho, mas, fui ficando, ficando, e, continuo até hoje. 47 anos de carioquice/acreana (1961/64 – 1973/2016).

Poema de ‘Amor ao Rio de Janeiro’
ENCANTAMENTO – FEITIÇO QUE SEDUZ 
Gilberto A. Saavedra – Jornalista 

Aventureiros audazes e ambiciosos,
Num ímpeto de coragem e desejos,
Lançam-se milhares aos mares,
Navegando num mundo ainda ignoto e tenebroso,
Em busca de conquista, riqueza e fama.

Terra à vista!
Esbraveja o destemido corsário francês.
O grande comandante Villegainon,
Seus piratas e espadachins rendem-se, extasiados,
Defronte de um horizonte radiante da natureza.

– É a terra do pau Brasil!
Exclama! O poderoso comandante invasor:
“Eram os morros cara de cão e o pão de açúcar”.
Elo perdido e adormecido, paraíso do nascimento da
‘cidade maravilhosa’.

Incrustada entre os estreitos vales litorâneos
Na grassa e rica mata atlântica.
De magnificência venustidade sem igual
Cobiçada por legiões de temerários,
Nas batalhas entre temidos conquistadores.

Duelos de heróis anônimos,
Que derramaram o próprio sangue
Tombando em terras virgens.
Deus, como bom arquiteto, em sábia inspiração,
Desenha serras e mar num quadro de beleza mil!

Rio de janeiro, grandiosa e bela de qualquer ângulo.
Quanto mais eu te olho, mais eu me encanto;
Quanto mais eu te reverencio, mais eu me deslumbro;
Quanto mais eu avanço, pensando que já vi de tudo,
Mais jardins de rosas são floridos.

Rio, berço do samba, da boemia...
Rio do carnaval, do futebol...
Rio da poesia, da literatura e das artes;
Rio da paz e da súplica;
Rio da beleza, que enfeitiça e seduz.

Imponente como só ela mesma;
Majestosa e bela mesmo entre o contraste de vida;
De um solo pátrio bem-aventurado,
Numa fonte sublime de raças e cores,
Que escolheram a ti como habitat.

Obrigado, Mem de Sá, pela liberdade!
Obrigado, cacique Arariboia, pela bravura!
Obrigado, Estácio de Sá, criador de São Sebastião
Do Rio de Janeiro! Querida e amada por todos.
Rio, tu serás sempre o coração do nosso Brasil. 

Gilberto A. Saavedra – poema escrito em 01/08/2016
Postar um comentário