segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

SÉRIE A POESIA ACREANA

A partir desta semana damos início, no Alma Acreana, a série A Poesia Acreana, que visa divulgar a poesia e os poetas de nossa terra. O Acre é historicamente um estado jovem, porém, goza de importante maturidade e propriedade em suas letras, sobretudo na poesia, embora saibamos que ainda estamos em via de formação. Para poema de abertura, que resume bem o espírito de nossa poesia, selecionamos uma do cientista social Jacó Cesar Piccoli.

***

POESIA ACREANA
Jacó Cesar Piccoli


POESIA ACREANA
feita de vida
feita de amor

Protesto
diante da miséria...
Pranto
diante das derrubadas
Gritos de dor
diante da expulsão dos filhos da terra
índios
seringueiros
castanheiros
ribeirinhos...

POESIA ACREANA
palpitante,
selvagem,
popular.
Que evita os discursos demagógicos
e a ironia dos homens que exploram o HOMEM.

POESIA ACREANA
Versos que seduzem
Versos que desejam
Versos que teimam em construir
nestes tempos de desunião.
Versos de certeza
Versos de esperança
Versos de liberdade
Versos de Paz

Versos da Amazônia dos homens,
da Amazônia-natureza,
virgem fértil e bela
com que todos sonhamos,

POESIA ACREANA
feita na Amazônia
feita de vida
feita de amor

***

Antologia dos Poetas Acreanos 1986. Rio Branco: Fundação de Desenvolvimento de Recursos Humanos, da Cultura e do Desporto / Casa do Poeta Acreano, 1986.
Postar um comentário