terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A VOZ DAS SELVAS

Menino de seringal, nos rincões da floresta amazônica, o rádio era o grande meio de comunicação, para não dizer o único. Eram duas as estações que mais se ouviam, a Verdes Florestas, de Cruzeiro do Sul, e a Difusora Acreana: a voz das selvas, de Rio Branco. Ouvia-se geralmente pela manhã e à boca da noite, depois da lida do dia. Recordo-me de dois programas, o Mundo-Cão, do grande jornalista Estevão Bimbi, e Carrossel Musical, que, se não me engano, é de Reginaldo Cordeiro, ainda uma das vozes mais conhecidas e queridas do Acre. Sem dúvida, a minha alma acreana cresceu embalada pela voz das selvas, por entre essas verdes florestas sem fim que trago no coração.

O pequeno documentário abaixo mostra um pouco da história da Difusora Acreana, trazendo, entre outros, dois nomes de peso de nosso radialismo, Nilda Dantas e Reginaldo Cordeiro. Por meio deles, a nossa homenagem e gratidão aos demais profissionais da Difusora Acreana, a voz das selvas, e de tantos acreanos. 

O documentário tem direção e edição de Nicola Di Grazia. Produção e roteiro de Amarildo Bassi, José Costa, Landsteyner Weyner.

Acesse aqui a versão final do vídeo.
Postar um comentário