domingo, 31 de janeiro de 2016

SEPARAÇÃO DO EMBIRA

O jornal O Município, de 8 de março de 1931 (Num. 822, Ano XXII), de Tarauacá, trazia a seguinte notícia do anseio dos moradores de Feijó pela separação do município de Tarauacá:

“SEPARAÇÃO DO EMBIRA
 Dizem de Villa Feijó que os habitantes dos rios Embira e Jurupary se congregaram para se separarem da tutela do Tarauacá em face do abandono em que vivem.
Querem crear um Município seu, que trate de melhorar e fazer progredir aquella importante zona, já que o do Tarauacá delles só lembra na ocasião da colheita dos impostos.
Para mais acelerarem o seu “desideratum”, tratam de fundar um jornal em Villa Feijó, em cuja frente está o prestigioso doutor Epaminondas Martins.
Em qualquer parte do mundo deve predominar o “crescei e multiplicai”. É o que se dá no Embira que não deve ficar na estacada pela incúria de governos incompetentes.
Nós sempre lembramos que aquella zona tem direito à consideração dos administradores deste Município, pois rende e produz tanto como este rio e o Murú.
“Quem adeante não olha, atraz fica”...”

A tão sonhada independência política e territorial de Feijó viria no dia 21 de dezembro de 1938, quando, por meio do Decreto-lei Federal n.º 968 é elevado à categoria de município, sendo desmembrado definitivamente de Tarauacá.
Avenida Epaminondas Martins (195?)

Praça da Bandeira (195?)
As duas fotos que ilustram são da década de 1950 (195?), do Arquivo dos Municípios Brasileiros, disponíveis na Biblioteca do IBGE. A primeira foto é da Avenida Epaminondas Martins; e a segunda, da Praça da Bandeira.
Postar um comentário