quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Série LIRA AMAZÔNICA

REMINISCÊNCIAS
Aldévio Praia

Era tarde, quando o sol morria
E a branca neve embalsamava os ares,
Que a morna brisa perto a ti dizia:
“O ocaso é lindo como os teus olhares”.

Longa tarde de amor. A cotovia,
Limpando os castiçais de seus altares,
Cobria as franjas do céu com a poesia
Que a solidão desenha nos pomares.

...Por fim te foste. E mais, hoje, não vejo
Teu doce olhar que a tempestade acalma;
E penso, à tarde, quando a vir desejo:

Que quer meu estro, enfim, à esta hora triste?
Serão os teus olhos que ele sente n’alma
Ou os lábios teus após que tu partiste?!

(“O Centro”, Manaus, 9-12-1953)
ALDÉVIO MARQUES PRAIA nasceu em Tefé, e publicou “Poesias esparsas”.


CÃO DE AÇO
Antísthenes Pinto

cão de aço.
                     grunhir
esse gesto na
garganta
rasa –
– funda
estende à
tábua do
                     Flanco
(irisado de
pelos
como
                         roça)
a colisão
do
espanto.
                         venta no
vento
gravidade dúbia
pressentir de
rastros:
                      superfície
branca
dos teus
olhos
                    turvos
cão
                    sempre
cão
                    de
aço.

(Em “Ossuário”, pag.55, Rio – 1963)
ANTÍSTHENES DE OLIVEIRA PINTO nasceu em Manaus, em 28-11-1929. Pertenceu ao Clube da Madrugada a Academia Amazonense de Letras. Publicou entre outros, “Sombra e Asfalto”, poesia, Manaus, 1957; “Ossuário”, poesia, Rio de Janeiro, 1963. Faleceu em 2000.


POSSÍVEL NOTURNO EM LÁ MENOR
L. Ruas

Ah!
Esta lua
Neste fim de rua
 
Os homens se devoram
Mesmo sobre cadáveres
E ainda chorando a morte
Matam a própria vida.

Esta lua
Somente lua
Neste absolutamente
Fim de rua

Para o fim da escura rua
Bêbedos passos caminham.
Minha sombra, minha dor,
Meu desengano também.
Ah!
Esta lua
Neste fim de rua.

(in “Pequena Antologia Madrugada”, pag.81, Jorge Tufic, Manaus, 1958)
LUIZ AUGUSTO DE LIMA RUAS (Padre), nasceu em Manaus, em 28-11-1931. Integrou o Clube da Madrugada. Publicou, entre outros, “Clow e Outros Poemas”. Faleceu em 2000.


MELLO, Anísio. Lira Amazônica: antologia. São Paulo: Correio do Norte, 1965. p.11-12, 41-42, 194-195
Postar um comentário