terça-feira, 13 de setembro de 2016

DANILO DE S'ACRE: A POESIA DO OLHAR

Reunimos, aqui, algumas fotografias de autoria de Danilo de S’Acre, um dos maiores artistas plásticos do Acre. Se na arte, como expressou Toinho Alves, “Danilo faz o que não dá para definir e poderia ser chamado de abstracionismo concreto”, na fotografia, a realidade tem mais contornos, destarte, não é menos intensa, nem mais fácil de ser definida. Aliás, não carece de definição, quando definir é limitar. Danilo pare a realidade no inverso dos olhares cotidianos, rotineiros, desgastados. São efeitos colaterais de uma Rio Branco escondida e revelada apenas nos ínfimos detalhes, por exemplo, de uma folha em decomposição, de um pneu abandonado, de um cachorro na calçada a tomar sol, de um manequim psicodélico, de um barco esquecido, de um vidro quebrado com seu halo de luz resplendente... São esses nadas corriqueiros que acabam sendo o tudo. Com suas fotografias, Danilo, como diz um verso de Helena Kolody, capta os seres em seu fugitivo instante de beleza. Sim, porque a vida é fluxo contínuo, dinamicidade... E algo tão breve, sub-reptício se eterniza e eterniza o olhar do poeta. Fotografias-pinturas, onde o real é a realidade da imaginação. Porque a vida não é o que fica; é, sobretudo, o que passa. O inapreensível. O que se sente na ausência de sentido. A arte.

rio DA arte
NILO de cores
vinho risos lapsus
caleidoscópico mundo
vasto mágico abstratus
efeitos reversos colaterais
caravelas de universos
lua tintas carnavais
versos siderais
de S'ACRE
dos sacros
seringais
astrais 

Isaac Melo
p/ o mestre Danilo de S'Acre

A paisagem / Danilo de S'Acre
A reinvenção da roda / Danilo de S'Acre
A mão / Danilo de S'Acre
A casa / Danilo de S'Acre
A pequena ponte e o sol / Danilo de S'Acre
An - coragem / Danilo de S'Acre
Boutique acreana ou o sono canil / Danilo de S'Acre
Cano - ando / Danilo de S'Acre
Catraieiro sobre o Rio Acre / Danilo de S'Acre
Contrastes / Danilo de S'Acre
Cubismo acreano / Danilo de S'Acre
Das rodas, a multiplicação das rodas / Danilo de S'Acre
Das águas, as rodas / Danilo de S'Acre
Efeito borboleta / Danilo de S'Acre
Expoacre II / Danilo de S'Acre
Gameleirando / Danilo de S'Acre
Intestino mecânico / Danilo de S'Acre
Jessé wandering whit dreams / Danilo de S'Acre
L'attesta / Danilo de S'Acre
Lar suspenso / Danilo de S'Acre
Máquinas & cães / Danilo de S'Acre
Nada de novo sob o sol / Danilo de S'Acre
Nudes in the road / Danilo de S'Acre
O corte e a seiva / Danilo de S'Acre
O coro das corrente insatisfeito / Danilo de S'Acre
o silêncio da sapiência / Danilo de S'Acre
O sol que ilumina tudo / Danilo de S'Acre
Octopus / Danilo de S'Acre
Palácio / Danilo de S'Acre
Passagem e sonho numa manhã defumada / Danilo de S'Acre
Pelo beco / Danilo de S'Acre
Ponte metálica / Danilo de S'Acre
Ponte / Danilo de S'Acre
Praia da Base / Danilo de S'Acre
Resista / Danilo de S'Acre
Rio Acre / Danilo de S'Acre
Rio Acre. Porto de catraias. Base. Cidade Nova. / Danilo de S'Acre
Rio Acre / Danilo de S'Acre
Sob o véu de fumaça / Danilo de S'Acre
Sonoridades e reverberações / Danilo de S'Acre
The red mouse / Danilo de S'Acre
Usinando / Danilo de S'Acre
À sombra e ao sol / Danilo de S'Acre
Danilo de S'Acre

Conheça a página de Danilo de S'Acre:
http://danilo-canibalvisual.blogspot.com.br
Postar um comentário