sexta-feira, 13 de julho de 2018

ATA DE FUNDAÇÃO DA VILA THAUMATURGO

A VILA THAUMATURGO
Ata de fundação da vila Thaumaturgo, na foz do Amônea, margem esquerda, em 1905
Vila Thaumaturgo, início do século XX.
Aos dias um de janeiro do ano de mil novecentos e cinco da era de Cristo e décimo sétimo da República Brasileira, os abaixo assinados, habitantes da região banhada pelo rio Amônea, afluente do Juruá –, reunidos na casa onde funciona o Posto Fiscal Federal, resolveram, em harmonia de vistas, denominar o lugar em que está estabelecido o referido Posto e em que esteve indevidamente instalado, à mão armada, por espaço de dois anos, um Posto Militar e Aduaneiro do Peru – de Vila Thaumaturgo, como preito ao emérito organizador e patriótico reivindicador da integridade territorial deste Departamento, o exm. sr. coronel doutor Gregório Thaumaturgo de Azevedo, que, para dar cumprimento ao que determinam os decretos do Governo Federal números 5188 e 5206, – teve de expulsar os intrusos vizinhos deste lugar incontestavelmente nacional, sendo por esta ocasião as armas brasileiras, mais uma vez , cobertas de glória no campo da luta. Por esta razão, em que pese a modéstia do excelentíssimo senhor coronel doutor Thaumaturgo, os residentes desta até aqui abandonada zona resolveram denominá-la de Vila Thaumaturgo, e pedir que com essa denominação seja registrada no mapa da Prefeitura.

Fernando Ribeiro, Antonio Joaquim de Almeida Pimentel, Fernando Guapindaia de Souza Brejense, tenente Pedro Lustosa de Araújo Costa, José Candido Martins Trindade, alferes Matheus Marques de Souza, Alvaro José da Costa Ferraz, Joaquim Barroso Cordeiro, Antonio Ferreira Braga, Gilberto Rebelo de Figueiredo, Francisco Santana, filho, Pedro Assumpção de Mattos, Amadeu Alencar Araripe, João Rufino Jorge de Souza, Luiz Francisco de Melo, Cleodulpho Bonifácio Antunes, Lucio de Castro, Glycerio de Vasconcelos Pessoa, José Henrique de Melo, Sebastião Teixeira de Alencar, Solano Marignier de Noronha, Manuel Ribeiro, Frederico Ortiz do Rego Barros, Joaquim de Sales Theophilo, Francisco das Chagas Pinto, Joaquim Aristides Ribeiro, Antonio Machado, filho, Francisco Bonifácio da Costa, Raimundo Machado Freire, Francisco Ribeiro, Pedro Canuto, José Mergulhão, Belmiro do Nascimento Lisboa, João Leoncio, Raimundo Cordeiro de Oliveira, Francisco Benicio de Carvalho, José Rodrigues Torquato, Bernardino Ribeiro da Cruz, Francisco das Chagas Neiva, João Nogueira da Silva, Antonio N. de Lima, Tertuliano Antonio Crispim, José Baptista França, Lourenço O. Ribeiro, João Rodrigues Freire, Vicente Alves Ferreira, Joaquim Nogueira da Silva, Manuel Martins da Fonseca, José Justino de Araújo, Vital Celestino da Costa, Alcebíades Cardoso Brasil, Joaquim Ribeiro do Carmo, Adelino Pereira de Souza, José da Silva Costa, Francisco da Silva Costa, José Alves Pereira, Elmiro Ferreira de Melo, Joaquim Rodrigues, José Vicente Assumpção, Luiz Gonzaga de Araújo, Manuel Vicente Lopes Falcão, Manuel Pinho, Antonio José Leite, Abdias Gomes de Oliveira, Henrique José dos Santos Viana, Hildebrando Augusto Saint Clair Soares, Honesto Mafra da Mota, Domingos Luiz Rebelo, Manuel Ignacio de Carvalho, junior, Manuel Alfredo Castro, junior, João Leão Vieira, Felinto Elisio Ausin, Gregorio Custódio Pinheiro, Manuel de Souza Moreira, Eduardo Augusto Fernandes Ribeiro, Martinho Marques de Moreira Maia, Manoel Benicio Rola, João Barcelos da Silva, José da Costa Vieira, Luiz do Amaral Dias da Mota, Manuel Angelo, Romeu Marques Correa, José Gonçalves Caramulho, Pedro Cordeiro de França, Alfredo José Pereira, Salestiano José da Silva, João Ferreira Viana, Manuel de Oliveira Marques, Ludgero Braulio do Carmo, Honorato Bertholdo, João Gomes de Melo, Pedro Augusto da Silva, Luiz Vieira da Silva, Manuel Maximiano Pereira, Manuel Cabral de Vasconcelos, João Peixoto Lisboa, João Martins de Menezes.

O CRUZEIRO DO SUL, Cruzeiro do Sul-AC, 5 de agosto de 1906, N.13, Ano I
Postar um comentário