sexta-feira, 11 de abril de 2014

HORA DA POESIA

Jefferson Bessa


a Hora da poesia
segue a festa de rua.
cada verso cai
entre cabeças e pernas
de quem vem dançar.
do céu o verso cai
desenrola e se embola
em fitas de escrita
desce feito serpentina.

a poesia da rua anda
o poema segue e desce
na Hora de ser festa:
é rua e todo mundo
alegria de durar muito.
para além da semana
para quem assim quiser
a festa que acorda
pode agora sempre


> Visite aqui o espaço do poeta Jefferson Bessa.
Postar um comentário