quinta-feira, 19 de março de 2015

TRÊS POEMAS DE JORGE TUFIC

UMA FOLHA DESCE
Jorge Tufic

Uma folha desce
tão bela, em minha janela.
O dia escurece.


TESTAMENTO
Jorge Tufic

Deixo-te as latas vazias
de um porre sem vinho;
deixo-te o abrigo
das pontes,
as sílabas do musgo,
a fúria de meus sapatos.

Deixo-te ainda
a minha radiografia:
o vão que fui
entre duas costelas.


O NEGATIVO
Jorge Tufic

Meu nascimento não teve retrato.
Imagem, na época,
raro privilégio.
Talvez por isso resistam
visões patológicas
nesse olhar que me olha-
não para onde estou
mas de onde estaria
nos outros que fui.


Confira o blog do poeta, de onde foram retirados os poemas acima:
Postar um comentário