sexta-feira, 22 de novembro de 2013

É MAIS BELO O MAR

VERLAINE (1844-1896)


É mais belo o mar
Do que as catedrais,
A matriz sem par
Que acalenta os ais,
O mar por quem ora
A Nossa Senhora.

Ouço-lhe a canção
Que aplaca e delira;
Ouço o seu perdão
Como a sua ira...
Este mar alado
Não é obstinado.

Ó tão paciente
Menos quando espanta!
Um sopro é paciente
Na vaga e nos canta:
“Vós sem esperança
Morrei morte mansa”.

Sob o firmamento
Na manhã gloriosa
Tem um ar cinzento,
Verde e cor-de-rosa...
Belo em sua voz,
Melhor do que nós!


VERLAINE, Jean-Marie. Poemas. (trad. Jamil Almansur Haddad). São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1962. p.187
Postar um comentário