segunda-feira, 23 de junho de 2014

SABER, SÓ UM POUCO

Friedrich Hölderlin (1770-1843)


Saber, só um pouco, mas muita alegria:
     Eis o que é dado a nós, mortais...
..............................................................
Por que, belo Sol, não me basta dizer,
     Flor das minhas flores, num dia de maio,
     Teu nome? Sei de algo mais alto?

Se eu pudesse ser como as crianças são!
Como o rouxinol, cantar numa canção
     Minha alegria descuidosa!


ZU WISSEN WENIG
Friedrich Hölderlin (1770-1843)

Zu wissen wenig, aber der Freude viel
Ist Sterblichen gegeben,
Warum, o schöne Sonne, genuegt mir nicht
Du Bluete meiner Blueten, am Maitag dich
Zu nennen? weiss ich hoehers denn?

O dass ich lieber waere, wie kinder sind!
Dass ich, wie Nachtigallen, ein sorglos Lied
Von meiner Wonne saenge!


HÖLDERLIN, Friedrich. Poemas. Seleção, tradução, introdução e notas José Paulo Paes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. p.199
Postar um comentário