sábado, 15 de fevereiro de 2014

O MAR

Charles Baudelaire (1821-1867)

Porque motivo o espetáculo do mar é tão infinitamente e tão eternamente agradável?

Porque o mar oferece, a um tempo, a ideia da imensidade e a do movimento. Seis ou sete léguas representam para o homem o raio do infinito. Eis aí um infinito diminutivo. Que importa, se ele basta para sugerir a ideia do infinito total? Doze ou quatorze léguas de líquido em movimento bastam para dar a mais alta ideia de beleza que se ofereça ao homem no seu habitáculo transitório.


BAUDELAIRE, Charles. Meu coração desnudado. Tradução de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981. p.107
Postar um comentário