domingo, 14 de abril de 2013

POETAS BRASILEIROS DE AGORA

Mário Chamie (1933-2011)


Houve o poeta clássico.
Houve o poeta romântico.
Houve o poeta barroco
e tantos outros poetas
por quem a poesia
se fizera
por onde a poesia
se perdera.

Houve também a bandeira
contra passadas águas
de outras tantas
vanguardas velhas,
embora houvesse
para tantas outras
vozes e teses
a práxis da nova estrela.

Por todo passado e presente
que se fizera e se perdera,
resta o poeta de agora
sem o Ágora da fala
mais o nada do nada
de alguma ciência grega.

É o poeta de quirelas
e querências neutras
o que agora gira e gera
seus miúdos acúmulos
e resíduos de indigência.

É o poeta sem estrelas nem estrela
em seu reinado de ausências.

É o poeta marca-passo
que se alimenta
e se contempla
no santo e sonso repasto
de sua neutra morta letra.




CHAMIE, Mário. Horizonte de esgrimas. Ribeirão Preto: Funpec, 2002.
Postar um comentário