segunda-feira, 17 de março de 2014

NÃO HÁ GRANDES, A NÃO SER...

Charles Baudelaire (1821-1867)


Não há grandes, entre os homens, a não ser o poeta, o padre e o soldado.
O homem que canta, o homem que sacrifica e o homem que se sacrifica.
O resto é feito para o chicote.
Desconfiemos do povo, do bom senso, do coração, da inspiração e da evidência. 


BAUDELAIRE, Charles. Meu coração desnudado. Tradução de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981. p.99
Postar um comentário