quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

AINDA VIVO

Erlan Nogueira de Moura



Apesar da injustiça e da ganância
Do preconceito e da discórdia
Da crueldade e intolerância
Da miséria e da morte.

Apesar da sujeira e da vida controlada
Das queimadas e do lixo
E da mente apagada.

Apesar do contrabando e do filho alvejado
Da polícia paranoica
E o outro sequestrado.

Apesar da escravidão muitas vezes disfarçada
Da loucura com razão
De uma vida maltratada.

Apesar da traição duma política “organizada”
Do sistema opressor
E uma voz que não diz nada.

Apesar do cinismo de um sorriso escancarado
Dos impostos que nos cobram
E o povo sempre enganado.

Apesar da distância do segredo almejado
Das conquistas e da fama
E um corpo retalhado.

Apesar do clima tenso e das noites acordado
Do terror do pesadelo
De viver tão vigiado.

Apesar do nepotismo e do parente escolhido
Da função mal exercida
E do livro proibido.

Apesar de tudo isso e muita coisa que não sei
Eu me sinto fortalecido 
Porque podemos mudar essa lei. 


ERLAN NOGUEIRA DE MOURA é natural de Cruzeiro do Sul-AC, reside em Rio Branco, onde cursa Arquitetura e Urbanismo.
Postar um comentário