sábado, 5 de outubro de 2013

COMO ERA VERDE O MEU VALE

Um bom filme. Abaixo um pequeno comentário.

Jefferson Vendrame
O Cinema Antigo

Após vencer seu segundo Oscar de melhor direção em 1940 por Vinhas da Ira (o primeiro havia sido em 1935 com O Delator) o Irlandês naturalizado americano John Ford (1894-1973) vinha realizando consequentemente uma série de grandiosos sucessos; No Tempo Das Diligências (1939), A Mocidade de Lincoln (1939), Caminho Áspero (1941) etc. Sob contrato com a Twenty Century Fox, o diretor estava no início de 1941 diante de um novo projeto que custara a Darryl F. Zanuck (1902-1979) US$ 300 mil; de Richard Llewellyn (1906-1983): Como Era Verde Meu Vale. Trata-se da primeira obra de Llewellyn, um romancista Galês nascido em 1906 e que alcançara enorme prestígio com a publicação desse tocante e comovente drama. Esteticamente o filme tem o poder de encantar profundamente. Filmado com um belíssimo preto e branco, algumas sequências dispensam completamente os diálogos, já que as imagens falam por si só. A sensível trilha sonora de Alfred Newman quase que como parte do elenco se faz presente em diversos momentos da trama, banhando ainda mais as cenas com emoção e ternura. A Trama de Como Era Verde Meu Vale se dá a partir do instante em que Huw Morgan (MacDowall em uma das interpretações infantis mais comoventes do cinema) despede-se do Vale Rhondda (uma pequena vila mineradora no País de Gales) por volta dos sessenta anos de idade. Nesse momento, ele passa a relembrar detalhadamente sua infância naquele local, trazendo a tona reminiscências vividas por ele e toda sua família, incluindo seu dedicado e tradicional pai Gwilym (Crisp), sua doce mãe Beth (Allgood) e sua irmã Angharad (O´Hara). Com o orçamento em torno de US$ 1,25 milhões, o filme rendeu aos cofres do estúdio um satisfatório lucro com sua bilheteria que esteve entre as maiores do ano. Sua mensagem de paz, solidariedade e amor fraterno caiu como uma luva naquela sociedade temerosa com o alvorecer da segunda guerra mundial. Vencedor de cinco Oscar, incluindo melhor filme e diretor (consecutivo), Como Era Verde Meu Vale divide opiniões; Embora alguns o considerem merecedor dos prêmios, outros criticam a acadêmia pelo fato dele ter vencido o revolucionário Cidadão Kane de Orson Welles (1915-1985), esse que ainda hoje é considerado por muitos, "o melhor filme de todos os tempos". Independente de ter sido ou não merecedor dos prêmios, é certo afirmar que, dono de um charme absoluto, Como Era Verde Meu Vale se tornou ao longo dos anos uma obra prima sem tamanho e dentre os filmes out-western de John Ford, esse é sem dúvidas o melhor deles.
Postar um comentário