quinta-feira, 31 de outubro de 2013

OS BRABOS DO TARAUACÁ

Os brabos do Tarauacá é um romance de autoria do amazonense João Mendonça de Souza, falecido em 2003. Mendonça de Souza pertencia à Academia Brasileira de Ciências Morais e Políticas, ao Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas e à Academia Amazonense de Letras, da qual foi presidente.

O romance gira em torno da saga dos Soldados da Borracha na região do Envira, Tarauacá, Eirunepé e Cruzeiro do Sul, com ligeira recapitulação de fatos ocorridos ao tempo da então fase áurea da borracha. A história ambienta-se no seringal Felicidade localizado no rio Tarauacá, e desenrola-se ao redor do Coronel Chico e Angélica, Tônio e Isabel, Das Dores e Ribentino, Joaninha e Desidério em suas esperanças, sonhos e frustrações. O tempo histórico é os anos que envolve o período da Segunda Guerra Mundial, quando a borracha ganha um novo impulso econômico, no chamado segundo ciclo da borracha, quando os E.U.A e os ingleses haviam perdido seus seringais asiáticos e, por meio dos Acordos de Washington, firmaram acordo de comprar a produção de borracha brasileira. Centenas de pessoas, sobretudo nordestinas, foram arregimentadas e levadas para a Amazônia como “Soldados da Borracha”, para produzir borracha para vitória dos países aliados contra o nazi-fascismo. “Brabo” era o termo que se usava na Amazônia para se referir aos recém chegados seringueiros, em sua maior parte do Nordeste, para a extração do látex.

O romance revela sobretudo a capacidade intelectual de seu autor, grande conhecedor das coisas amazônicas, o que se revela por meio das várias referências biobibliográficas que encontramos entremeadas na narrativa. Porém, a visão do autor, ufanista, acaba interferindo na própria narrativa do romance, o que acaba prejudicando a fluidez do texto e do enrendo. Além do mais, o autor acaba levando fatos históricos de sua contemporaneidade para o passado.

No mais, não é um romance que inova na temática, por demais abundante. Mas é uma boa introdução, sobretudo para aqueles que pouco ou quase nada conhecem da riquíssima literatura brasileira produzida e/ou inspirada na Amazônia.


SOUZA, João Mendonça de. Os brabos do Tarauacá (a saga dos soldados da Borracha na Segunda Guerra Mundial). Rio de Janeiro: Vozes, [s.d.]
Postar um comentário